O jejum é de grande importância para o seu desenvolvimento espiritual. Vamos, então, meditar no assunto.

 1) Porque o jejum é uma ordem divina.

 Homens e mulheres de Deus ao longo da História, têm compreendido claramente essa ordem de Deus. Está escrito, em Jl.2.12: “Ainda assim, agora mesmo, diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, com choro e com pranto”. A ordem de Deus é muito clara. Jesus ensinou aos discípulos a maneira correta de jejuar, dizendo, em Mt.6.17,18: “Tu, porém, quando jejuares, unge a cabeça e lava o rosto, com o fim de não parecer aos homens que jejuas, e sim ao teu Pai, em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará”. A expressão ‘quando jejuares’ sugere uma prática constante. Portanto, precisamos jejuar porque Deus nos ordenou jejuar.

 2) Porque o jejum é um meio de nos humilharmos diante de Deus.

 A Escritura Sagrada, nos diz, em Tg.4.10: “Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará”. E o jejum é um meio que Deus nos deu para nos humilharmos diante Dele, quebrantarmos a nossa carne. E isso nos dará sensibilidade espiritual para percebermos o nosso pecado e consertarmos nossa vida com Deus. O salmista entendeu isso e disse, no Sl.35.13: “Eu humilhava a minha alma com o jejum”.

Certamente, você será levantado por Deus, quando se humilhar diante Dele. Leia também os textos de II Cr.7.14; Is.58; Dn.9.3-5.

 3) Porque o jejum é um meio para obtermos vitória sobre ataques e tentações malignas.

O Senhor Jesus é nosso modelo perfeito e Ele nos deixou o exemplo em relação ao jejum. Foi bem no começo de Seu ministério, logo após o Seu batismo nas águas e no Espírito. A Bíblia diz, em Lc.4.1,2, que “Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi guiado pelo mesmo Espírito, no deserto, durante quarenta dias, sendo tentado pelo diabo. Nada comeu naqueles dias, ao fim dos quais teve fome”. Nesses quarenta dias de jejum, o Senhor alcançou a vitória sobre os ataques e as tentações do inimigo. E, isso, de tal maneira que o V.14, diz: “Então, Jesus, no poder do Espírito, regressou para a Galiléia”. Por isso, precisamos jejuar.

4) Porque é um meio para receber capacitação de Deus na realização de Sua Obra.

A Igreja buscou a capacitação de Deus, em jejum e oração, quando enviou os primeiros missionários. É o que lemos em At.13.2,3: “E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Separai-me, agora, Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então,jejuando, e orando, e impondo sobre eles as mãos, os despediram”. Os apóstolos escolhiam os presbíteros para as novas igrejas, em Jejum e oração. Está escrito em At.14.23, que, “depois de orar com jejuns, os encomendavam ao Senhor em quem haviam crido”. Esse foi o modelo estabelecido pelo Espírito Santo na Igreja primitiva.

5) Porque o jejum é um meio para alcançarmos vitória em tempos de crise.

A História do povo de Deus revela a importância do jejum em tempos de crise. Um dos maiores exemplos que temos é o de Ester, juntamente com seu povo. Um decreto do rei determinava o extermínio de todo o povo judeu. Por isso, Ester mandou um pedido a seu tio Mardoqueu, em Et.4.16, dizendo: “Vá e reúna todos os judeus que estiverem em Susã, e todos vocês jejuem e orem por mim. Durante três dias não comam, nem bebam nada, nem de dia nem de noite. Eu e as minhas empregadas também jejuaremos.Depois irei falar com o rei, mesmo sendo contra a lei; e, se eu tiver de morrer por causa disso, eu morrerei”. E Deus lhes concedeu uma vitória tão grande, que é comemorada pelos judeus até o dia de hoje. Portanto, precisamos jejuar para alcançarmos vitória em tempos de crise.

 6) Porque o jejum é um meio para buscarmos direção e proteção de Deus.

 Esse foi o entendimento de um grande homem de Deus – Esdras. Eis o testemunho que ele nos deixou escrito, em Ed.8.21-23: “Então, apregoei ali um jejum junto ao rio Aava, para nos humilharmos perante o nosso Deus, para lhe pedirmos jornada feliz para nós, para nossos filhos e para tudo o que era nosso. Porque tive vergonha de pedir ao rei exército e cavaleiros para nos defenderem do inimigo no caminho, porquanto já lhe havíamos dito: A boa mão do nosso Deus é sobre todos os que o buscam, para o bem deles; mas a sua força e a sua ira, contra todos os que o abandonam. Nós, pois, jejuamos e pedimos isto ao nosso Deus, e ele nos atendeu”. Por isso, você também pode jejuar para pedir direção e proteção de Deus.

 7) Porque o jejum é um meio para buscarmos restauração espiritual.

 O profeta Joel descreve uma situação de calamidade espiritual na vida do povo de Israel. E mesmo depois de falar sobre o juízo prestes a vir, ele diz, em Jl.2.12: “Ainda assim, agora mesmo, diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, com choro e com pranto. Rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR, vosso Deus, porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade”. E o resultado dessa busca em jejum e oração se encontra nos Vs.18,28, onde está escrito: “Então, o SENHOR se mostrou zeloso da sua terra, compadeceu-se do seu povo… E acontecerá, depois, que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne”. Sim! Deus restaura aqueles que o buscam de coração, em jejum e oração.

 O jejum quebranta a nossa carne liberando o nosso espírito e a fé que nele está, consequentemente, através desta fé, liberando as bençãos de Deus que já nos foram dadas em Cristo Jesus. Pela fé, tomamos posse dessas benção e desfrutamos a vitória.

 Se prepare para este tempo de jejum!